A Cabritinha

A Cabritinha

 

Esta é um clássico. E clássico todo mundo tem obrigação de conhecer. E paciência para ouvir de novo. Vamos lá:

 

Um ventríloquo foi passear na roça. E corta logo para ele passeando na carroça de um matuto, numa tarde gostosa, cheia de silêncio. De repente, como o silêncio era tanto que tava até dando paz demais, o ventríloquo resolveu tirar um sarro com o capiau:

 

– Escuta, companheiro, você sabia que o seu cavalo fala?

 

O matuto não acreditou. Mas foi só o tempo de não acreditar e levar o maior susto; o cavalo danou a conversar com ele, e o matuto ficou maravilhado.

 

Aí passou um boi, e o boi falou. E passou uma vaca, e a vaca falou. E logo em seguida, o que é que vinha vindo lá? Uma cabrinha muito sestrosa, balançando as ancas, que parou bem ao lado da carroça. Parou e ficou olhando.

 

E já ia “dizer” alguma coisa, quando o matuto se virou e disse:

 

– Não acredita nela não. Ela é muito mentirosa!!

 

Duas virtudes

 

Quando Deus fez o mundo, para que os homens prosperassem decidiu dar-lhes duas virtudes.

 

Assim, aos Suíços os fez organizados e respeitosos da lei;

 

Aos Ingleses, corajosos e estudiosos;

 

Aos Japoneses, trabalhadores e disci­plinados;

 

Aos Italianos, alegres e românticos;

 

Aos Franceses, cultos e finos;

 

Porém, quando chegou a vez dos Brasileiros, disse então ao anjo que escrevia em uma planilha:

 

– Estes vão ser inteligentes, honestos e petistas!

 

O anjo anotou, mas logo em seguida, cheio de humildade e de medo, indagou:

 

– Senhor, a todos os povos do mundo foram dadas duas virtudes, porém, aos brasileiros, foram dadas três! Isto não os fará soberbos em relação aos outros povos da Terra?

 

– Muito bem observado meu bom anjo! – Exclamou Deus. – Isto é verdade! Façamos então uma correção! De agora em diante, os brasileiros, povo do meu coração, manterão estas três virtudes, mas nenhum deles poderá utilizar mais de duas simul­taneamente! Assim o que for petista e honesto não pode ser inteligente, o que for petista e inteligente não pode ser honesto e o que for inteligente e honesto NÃO PODE SER PETISTA.

 

Palavras do Senhor…

 

Amém.

 

Chegando triste no inferno

 

Um cara morreu e foi parar no inferno. Em clima de desespero, ele teve o primeiro encontro com o diabo:

 

Diabo: Por que você tá tão triste, cara?

 

O cara: O que você quer? Estou no inferno!

 

Diabo: O inferno não é tão mal assim. Na verdade, temos um bocado de divertimento por aqui. Você bebe?

 

O cara: Claro, eu adoro beber!

 

Diabo: Bem, então você vai adorar as segundas-feiras. Tudo que temos de fazer nelas é beber. Whisky, tequila, guiness, coolers, vinhos…bebemos até cair e mais um pouco.

 

O cara: Uau, isso parece legal!

 

Diabo: Você fuma?

 

O cara: Podes crer.

 

Diabo: Certo! Você vai adorar as terças-feiras. Pegamos os melhores cigarros do mundo e lotamos nosso pulmões de fumaça. Se você tiver câncer, tudo bem…você já está morto mesmo.

 

O cara: Ótimo!

 

Diabo: Imagino que você goste de jogar.

 

O cara: Sim, de fato gosto.

 

Diabo: Bom, porque as quartas-feiras são dedicadas ao jogo. Poquer, blackjack, corridas de cavalos, e tudo mais que você quiser.

 

O cara: Mas que dez, cara! Estou começando a adorar o inferno!

 

Diabo: Você curte drogas?

 

O cara: Sim, adoro me drogar. Você não quer dizer que…

 

Diabo: É isso aí! As quintas-feiras são dias de droga. Fume uma pedrona de crack ou um baseado do tamanho de um submarino. Você poderá usar tudo que quiser e, se tiver uma overdose, tudo bem, você já está morto mesmo.

 

O cara: Oba! Eu nuca havia imaginado que o inferno era um lugar tão legal!

 

Diabo: Você é gay?

 

O cara: Uh, não.

 

Diabo: Oooh, você vai odiar as sextas-feiras…

 

Carioca no inferno

 

Carioca esperto, 30 anos de praia, advogado, maçon, morreu e foi pro inferno. Em lá chegando foi logo questionando:

 

– Seguinte, vermelhinho. O ambiente aqui está quente demais, não dá pra descolar um refresco, com bastante gelo?

 

E o capeta indignado: – Que é isto cara, tá pensando que está aonde? isto aqui é o inferno, pô!

 

E ele: – E daí ô meu? precisamos mudar este astral negativo! – e chegando perto das orelhas do chifrudo – cá entre nós, ENTRE COLUNAS, cadê as mulheres?

 

E o capeta mais indignado ainda: – Aqui não tem mulher nenhuma! É noutro Departamento. Você está no inferno, já disse!

 

Respondeu o carioca: – Bicho, você está MENTINDO. Isto é pecado! Tem!

 

– Não tem!

 

– Tem!

 

– Não tem!

 

E o carioca desafiou :

 

– Quer que eu prove que você está mentindo?

 

Ao que respondeu o capeta: – Taí, quero!

 

– ONDE FOI QUE VOCÊ ARRANJOU ESSE PAR DE CHIFRES?

 

Mal do Café

 

Tinha um primo do Manuel que há muitos anos sofria de um mal singular. Era só tomar um gole de café e já sentia uma forte pontada no olho esquerdo. Não havia remédio que o curasse. E olha que ele adorava café. Até que um dia, um médico, amigo da família, o aconselhou:

 

– O, Joaquim! Por que não experimentas tirar a colherinha de dentro da xícara?

 

Consertando a TV

 

O técnico de televisão chega num apartamento para atender uma chamada de emergência.

 

Uma morena de olhos verdes, 1.70 de altura e um corpo perfeito abre a porta, enrolada numa toalha.

 

O cara não consegue desgrudar os olhos dela, que fica ali, parada, de toalha mesmo, esperando ele terminar.

 

Depois de meia hora ele termina o serviço. A mulher agradece e se abaixa para preencher o cheque, deixando aparecer seus enormes seios. O cara está quase se descontrolando e agarrando a morena e ela diz:

 

– Olha, eu não sei como pedir isso pra você… É uma coisa um pouco fora do comum… É, eu gostaria que isso ficasse só entre nós dois…

 

– Claro, madame! – concordou o cara, excitadíssimo – Pode falar!

 

– É que o meu marido – continua a gostosona – é uma pessoa muito boa, mas é tão fraquinho, coitadinho… Enquanto você é um homem forte, másculo…

 

Então, quando eu vi você entrando, pensei…

 

– Fala, dona, fala! – disse o técnico, em ponto de bala.

 

– Você faria uma coisa por mim?

 

– Claro, dona! É só falar que eu faço!

 

Então ele levou o moço até o quarto dela e disse:

 

– Arrasta o armário pra mim?